Robert Kirkman
Robert Kirman, criador dos quadrinhos de The Walking Dead

Robert Kirkman fala sobre a #100 e o futuro de The Walking Dead

The Walking Dead foi a coisa que mais marcou presença na San Diego Comic-Con de 2012. Entretanto, por causa da centésima edição que foi lançada recentemente, o painel dos quadrinhos era livre de spoilers e não foi possível discutir sobre o arco de Something to Fear.

O site Daily Dead entrevistou Robert Kirkman durante a convenção e teve a oportunidade de conversar especificamente sobre esta edição, assim como sobre o futuro da série dos quadrinhos. Continue lendo para saber mais sobre a morte de um dos personagens mais importantes que já era para ter acontecido antes e descubra quem Robert Kirkman promete que não irá sobreviver até o final da série.

**ALERTA DE SPOILER** Este artigo traz grandes spoilers para aqueles que ainda não leram os quadrinhos, incluindo a centésima edição.

Eu queria começar falando sobre a morte de um personagem tão importante na centésima edição de The Walking Dead. Isto sempre esteve planejado para esta edição, ou simplesmente aconteceu mais organicamente?

Robert Kirkman: Na verdade, eu havia planejado a morte de Glenn na edição #75, mas pareceu que eu ainda poderia aproveitar mais desse personagem. Eu percebi que estava tentando encaixar enquanto ainda não era hora. Eu planejei o que iria acontecer ao longo dos quadrinhos, que pessoas iriam morrer, e como elas iriam morrer, mas sempre eu acabo me surpreendendo comigo mesmo e mudando os meus planos.

A ideia por trás dessa morte foi para ser retratada apenas como um evento aleatório. Negan é tão perigoso assim porque ele pode fazer o que quiser com qualquer pessoa a qualquer momento. Para mim, é aterrorizador ter um cara na frente de você dizendo “Eu vou matar um de vocês… Eu não sei quem vai ser, e eu não estou me importando muito…”

Robert Kirman:É aterrorizante, e ter Rick passando por essa experiência, estando completamente sem poder em frente a esse cara irá causar uma mudança fundamental nos quadrinhos em um aspecto muito grande. Acredito que isto faz de Glenn um dos mais importantes personagens da vida desta série.

Depois de escrever sobre Glenn durante todos esses anos, foi difícil matá-lo? Você sente a mesma conexão (ou até mais) com os personagens que os leitores sentem?

Robert Kirkman: Sim, sempre é difícil. Para mim, é muito difícil lidar com o fato de que eu nunca vou conseguir escrever uma outra história com o Glenn ou o Abraham. Ou o fato que eu não pude mais escrever com Tyrese ou o Axel, ou até mesmo Shane que morreu tão cedo, ou Lori.

Tanto Charlie quanto eu nos apegamos a esses personagens e isso nos afeta do mesmo jeito que afeta os leitores. Quando eu estou escrevendo o script, eu realmente fico chateado algumas vezes, e é uma coisa que abala um tanto os nervos, porque eu escrevo tudo e eu sei o que está para vir. Quando eu estou escrevendo o script, eu estou tendo a experiência da história em tempo real, de certa forma.

Quando Charlie lê o script, ele gosta de manter as coisas vagas, então ele não faz perguntas sobre o que irá acontecer. Ele sonda o que vai acontecer os quadrinhos com base no que ele está lendo no script e em como ele está tendo esta experiência. Ele pode experimentar enquanto está fresco e isso o ajuda a seguir adiante. É bem emocional para nós dois.

Olhando para o futuro, você sabe quando você quer que a história de Rick termine? Se a série continuar por mais 10 ou 20 anos, e sempre estiver focada em Rick, a história não vai ter o mesmo impacto, porque os leitores sempre vão saber que Rick irá sobreviver. Eu ouvi você dizer, no passado, que Rick poderia morrer a qualquer momento. Essa hipótese ainda é possível?

Robert Kirman: Sim, Rick pode morrer a qualquer momento. Imagino que Carl poderia carregar os quadrinhos agora. Eu sei que existem histórias bem interessantes que eu poderia fazer com ele, Andrea, ou Michonne. De certa forma, eu acho que seria interessante seguir Negan por um pequeno espaço de tempo e ver como a história seria.

Definitivamente, eu acredito que Rick tem sido a âncora para a série e pode continuar sendo a âncora por muito tempo. Eu tenho planos para ele e eu sei para onde a história está indo, mas eu prometo que Rick não irá sobreviver durante toda a publicação dos quadrinhos.

Eu acredito que os quadrinhos ainda irão continuar desta maneira por mais 300 edições. Charlie e eu absolutamente amamos o que nós estamos fazendo e é exatamente isto que eu queria fazer desde que eu percebi que queria trabalhar com os quadrinhos. Eu estou tendo a melhor fase da minha vida. Os quadrinhos irão durar por um longo tempo e ninguém está a salvo… Nem mesmo Rick.

Eu senti que seria mais difícil para os leitores se simpatizarem com o Rick neste ponto da série. Agora que Rick decidiu ser mais ofensivo, sem discutir as decisões com o grupo, ele é mais responsável sobre a morte mais recentes dos personagens. Você quer que os leitores o culpem ainda mais pelos eventos que vão ocorrer durante o Something to Fear?

Robert Kirkman: Acredito que na vida, algumas vezes você é o herói outras o vilão, dependendo da perspectiva. Para contar a história de Rick de maneira realista, é preciso que as pessoas nem sempre gostem dele. Quando você lida com uma interação humana, as pessoas cometem erros, ou tomam decisões sem pensar, e isto é algo que eu estou tentando retratar. Irá ter alguns momentos que você irá odiar Rick e momentos que irá amá-lo.

É praticamente do mesmo jeito que a história tem períodos mais vagarosos e quietos do que momentos explosivos, violentos e aterrorizantes que parecem ser mais poderosos. Irá ter momentos que você vai odiar Rick absolutamente e não se identificar com ele, mas isto irá fazer o período em que você irá apoiar o cara mais interessante. Acredito que os quadrinhos podem sobreviver tendo um personagem que nem sempre você consegue perceber as suas intenções, então eu me divirto muito bagunçando tudo.

Eu queria perguntar rapidamente sobre o jogo em primeira pessoa de The Walking Dead que foi anunciado recentemente e que segue os eventos que aconteceram antes da série de TV com Daryl Dixon. Você tem algum envolvimento criativo com esta história ou os elementos do jogo?

Robert Kirkman: Eu sou consultado sobre, e sempre me deixam informado sobre tudo. A Telltale Game se baseia nos quadrinhos e eu tenho controle direto no que existe ou em como é produzido. Isto é algo que é mais relativo à AMC, mas eu acho que vai ser bem divertido atirar flechas com uma besta, sendo Daryl Dixon.

Antes de encerrarmos, você pode dar aos nossos leitores uma prévia sobre o que eles podem esperar nas próximas edições de Something to Fear?

Robert Kirman: A apresentação de Negan foi um grande momento, e descobrir qual será a reação de Rick para isto irá ser bem interessante. Você irá começar a entender para onde a série está indo e eu acredito que as pessoas irão ficar um pouco assustadas com o que estamos fazendo. Irá ser uma nova evolução nas histórias que contamos, e uma nova situação para Rick e o resto dos personagens. Vai ser bem legal.

Fonte: Daily Dead

Tradução: Najara Bertoli [Twitter] [Facebook]

Jornalista em meio período, fã de terror em período integral. Facebook: http://www.facebook.com/najara.bertoli Twitter: https://twitter.com/harleen_
Prezamos por comentários relevantes e respeitosos. Confira nossa Política de Comentários e para mais discussões sobre The Walking Dead e outras séries, curta nossa página no Facebook! Gostaria de escrever para o The Walking Dead Brasil? Clique aqui e faça parte do site.