Depois do (longo) intervalo de duas semanas, com rápidos flashbacks das memórias de John Dorie com Naomi, somos inseridos de volta ao momento em que paramos no episódio anterior.

O cowboy está baleado no chão com sua amada ao seu lado. Em um impulso extremo de força enquanto suas terminações nervosas estão dilaceradas pelo tiro de Alicia, ele consegue disparar para Naomi que leu o recado que ela havia deixado escrito com as peças do jogo de palavra-cruzadas na cabana antes de partir: “Eu também te amo. Sinto muito”. Após esse respingo de romantismo e dramaticidade somos lembrados que estamos no meio de um conflito e o som de disparos tomam conta do ambiente.

Esse episódio em questão estava sendo muito aguardando, pois tudo indicava que ele seria a chave da porta de (pelo menos alguns) mistérios de Fear, e de fato foi. Mas antes de entrar no mérito da questão, não posso deixar de ressaltar a qualidade da direção e montagem das cenas de ação. Extremamente bem conduzidas, claras e com um ritmo bem definido e empolgante, dando uma verdadeira aula em todo o arco da Guerra Total da série original, que teve péssimas cenas de ação, quase relaxadas. Em suma, Fear mostra que de fato tem direção, dedicação e que está contando com uma equipe de primeira.

O time de Alicia, contando com apenas três integrantes, foi o suficiente para dizimar, ao que tudo indica, o grupo dos Abutres. Parece que só a Charlie sobrou para contar essa história do grupo de nômades ripongas.

Explodir o Mel dentro de uma ambulância foi impactante e mais uma vez mostra como os personagem podem ser facilmente descartados nessa série, mesmo aqueles em que acreditamos ter potencial de desenvolvimento, como tem sido revelado a cada episódio nessa nova temporada. A obliteração dos Abutres mostra a sede de vingança e determinação do trio em vingar todo o mal ao qual foram submetidos, e com a saciaram com maestria e sem enrolação.

Naomi e Morgan, com o auxilio quase forçado de Althea, conseguem resgatar John do meio do tiroteio, se abrigando dentro do furgão e partindo rumo à busca de socorro para cuidar do ferimento do cowboy. Nessa comitiva, a pequena Charlie também foi levada, após perder todos de seu bando, sendo carregada por Morgan em mais um de seus muitos atos benevolentes.

Nessa situação de fuga, ficou claro que Charlie não é filha de Naomi, pois em nenhum momento em meio ao caos, Naomi se preocupou com a garotinha assassina. Inclusive, se não fosse pelo Morgan, a pequena órfã estaria vagando sozinha no mundo apocalíptico, colocando a teoria de uma possível relação maternal entre as duas na lata do lixo.

Assim os dois núcleos têm uma ruptura em seus caminhos. Morgan e seu grupo seguem rumo à enfermaria do finado Estádio Diamond, enquanto Alicia, Strand e Luciana de direcionam para algum lugar incerto o qual Victor Strand, em uma epifania, decide ser o próximo passo do grupo, provavelmente com o intuito de caçar Naomi, para enfim completar o ciclo da vingança.

Destaco que esse rompimento dos dois grupos pode se tornar irreversível, pois um detalhe que me chamou a atenção foi que Alicia e cia. dispararam deliberadamente contra o furgão de Althea, onde todo o núcleo oposto se encontrava e não apenas Naomi, arriscando matar qualquer um sem o menor sentimento de culpa. Mas por ser algo recente e prematuro, vamos aguardar os próximos passos da série.

De volta ao passado, finalmente descobrimos por qual razão o Estádio caiu. Após os Abutres desistirem de tomar o Diamond e partirem, Mel e seu irmão Ennis tiveram uma discussão, onde Ennis resolveu tomar o Estádio a força e Mel não concordou. Sendo assim cada um seguiu seu rumo separado e o irmão mal intencionado colocou seu plano em prática, reunindo todos os Walkers que havia aprisionado no arredores do Estádio, os colocando dentro de caminhões e levando direto para os braços de Madison Clark.

Charlie, que seguiu com Mel, e acabaram se envolvendo em um acidente, volta até os portões do Diamond e pede ajuda a Madison, pois Mel estava sob risco. Após resgatarem o líder dos abutres e o levarem para enfermaria, ele alerta todos dos planos de Ennis e diz que devem evacuar imediatamente o Estádio. Madison, com seu espirito maternal e de reconstrução, ignora o alerta e diz que o Diamond vai resistir à investida, ordenando que todos fortifiquem os muros e se preparem para o assalto.

É interessante analisar que, novamente quando Madison e sua família encontram um lugar para chamar de seu, alguém conduz uma imensa horda de zumbis em sua direção para que tudo seja destruído. No Rancho, na temporada anterior, não foi diferente.

Outro fato curioso é que até o momento Naomi se mantém fiel ao grupo, ajudando na fortificação do Estádio e preparando a enfermaria para enfrentar a tempestade de mortos que se aproxima de todos. Restando em aberto em que momento ela agiu de maneira a configurar para Alicia que traiu todos.

Nick e Madison compartilham um diálogo vigoroso e carregado de sentimentos, onde o filho mais velho da líder diz que ela sempre foi  seu norte e base de equilíbrio, alertando que ela não pode desistir do Estádio e nem do Mel, que após alertar todos sobre o que se aproximava desertou por medo. Alicia e Nick, a pedido de Charlie, mesmo contra as ordens de Madison, saem do Estádio e vão atrás de Mel para realizar seu resgate e tratar de seus ferimentos na enfermaria. E é a partir desse momento que tudo desanda.

Na missão de resgate do líder dos Abutres, Alicia e Nick após o encontrarem, se deparam com Ennis e os Abutres rumo ao Estádio carregados de zumbis em seus caminhões. Eles avisam Madison pelo rádio e partem em direção ao centro dessa confusão. Na porta do Estádio do lado de fora, não conseguem regressar ao interior, pois os abutres além de colocarem fogo na frente do portão, libertaram uma imensa horda de zumbis que cercou todo o carro do trio.

É interessante como Fear consegue lidar bem com esse emaranhado de núcleos e linhas temporais. Com o estádio sitiado por uma gigante horda e quase incinerado no passado, e com grupo do furgão adentrando o estádio já abandonado em busca da enfermaria para tratar John no presente, o episódio se encerra deixando as últimas respostas para serem reveladas na Mid-Season Finale.

Esse episódio retrata muito os dilemas da Madison, que não quer desistir do Estádio porque enfim criou um lar para seus filhos, mas em contrapartida está recebendo vários avisos que tudo vai ruir e que deve abondar o lar justamente para salvá-los.

E foi justamente a opção de lutar pelo lar até o fim que ela acolheu que talvez tenha sido sua derrocada. De fato espero que Madison não tenha morrido, mas esse episódio corta nossas esperanças na raiz, inclusive se observarmos que tem um momento em que Alicia, antes de matar Mel o questiona “quanto tempo você ficou com ela”? Será que “Ela” é sua mãe? É muito provável que a matriarca dos Clark tenha morrido na batalha pelo Estádio, pelo simples fato de não ter entendido que as vezes lutar pelos filhos é dizer não. Talvez sua prole tenha aprendido isso da pior maneira possível.

Semana após semana, Fear The Walking Dead tem fornecido conteúdo de qualidade à audiência, sendo que uma boa parte dela já vinha sendo maltratada pela série mãe. O que as vezes nos torna pessimista, onde questionamos “até quando Fear vai se manter assim” ou “logo mais vai perder o ritmo”, e acontece exatamente o oposto.

A cada novo episódio somos agraciados pela genialidade e altíssima qualidade dessa trama. Agora nos resta aguardar o final dessa primeira metade da temporada, resolver os questionamentos ainda em aberto e ver que rumo a série vai tomar após o aparente fim da trama do Estádio com os Abutres.

Nota: 10 (juro que vasculho defeitos, sem sucesso).

#NãoMatemJohnDorie

Fear The Walking Dead 4ª Temporada Episódio 7

Título: The Wrong Side of Where You Are Now (O Lado Errado de Onde Você Está Agora)

Temporada: Fear The Walking Dead 4ª Temporada

Data de Estreia: 03/06/2018

Roteiro: Melissa Scrivner Love

Direção: Sarah Boyd

Audiência (EUA): 1.97 milhões de espectadores

Sinopse: A decisão de Madison de ajudar um adversário acarreta em consequências indesejáveis. Enquanto isso, a vida de John Dorie está por um fio.

Um Gaúcho apaixonado por cinema e séries. Acompanho The Walking Dead desde 2011. Atualmente vejo em FEAR um potencial muito maior do que na série original. John Dorie é o melhor personagem já criado no universo TWD.
Prezamos por comentários relevantes e respeitosos. Confira nossa Política de Comentários e para mais discussões sobre The Walking Dead e outras séries, curta nossa página no Facebook! Gostaria de escrever para o The Walking Dead Brasil? Clique aqui e faça parte do site.